As melhores brincadeiras que estimulam os sentidos das crianças

Publicado em 2017-05-22

Todas as crianças beneficiam de estímulos sensoriais, mas as mais pequenas são as que mais necessitam deles. O desenvolvimento dos sentidos começa ainda na barriga da mãe. Os bebés consegue ouvir e desenvolver o tacto ainda antes de nascer. É possível fazê-lo através de brincadeiras que estimulam os sentidos das crianças e, assim, proporcionar um melhor progresso das mesmas. Depois do nascimento, podem utilizar-se as sensações que o embrião se apercebeu para acalmar o bebé. Muitos dos sons e cheiros com os quais já estava familiarizado podem confortá-lo.

Este estímulo não ajuda apenas no progresso dos sentidos, mas é importante até na parte cognitiva e emocional. Ajudam também na concentração, coordenação e a relaxarem. No entanto, é necessário adequar as actividades estimulantes às suas idades. Neste artigo serão abordadas as melhores brincadeiras que estimulam os sentidos das crianças a partir dos 12 meses.

educadora de infância com crianças a tocar pandeireta

Audição

Como foi já dito acima, a audição começa a desenvolver-se ainda no útero, começando logo a ouvir sons e música. É muito provável que o bebé reconheça as vozes e os sons depois de nascer. A audição é dos sentidos mais importantes pois é ela que permite receber muita informação do exterior.

O jogo da Mimica Sonora, por exemplo, pode ser uma boa opção para trabalhar associações entre objectos e os seus sons. Qual é o som que faz uma batata frita? E da máquina do café? Qual o som do cão?

Usar a música também se pode tornar proveitoso, mas é também importante incentivar a momentos de silêncio.

Olfacto

Este é dos sentidos que, normalmente, é menos trabalhado. Ironicamente este é o sentido mais antigo no desenvolvimentos dos organismos vivos e também aquele que mais desperta o lado mais irracional e emotivo. O olfacto é o sentido que fica registado permanentemente na memória e, por isso, sentir um cheiro familiar pode levar a recordar uma dada situação.

Porém, deve ter-se em conta se a criança é capaz de identificar e diferenciar os cheiros que sente no seio familiar e social. Um jogo para as ajudar neste processo pode ser simplesmente identificar certos alimentos com os olhos vendados ou até mesmo distinguir e atribuir adjectivos a odores agradáveis e desagradáveis (e mostrar objectos que não cheiram a nada).

Paladar

Assim como o olfacto, o paladar é igualmente esquecido quando se trata de estimular o seu desenvolvimento. É importante que as crianças consigam distinguir os quatro sabores primários: doce, salgado, amargo e ácido.  Pode dar-se a provar alimentos crus e cozinhados, para que percebam que o mesmo alimento pode ter sabores distintos.

Este tipo de actividades pode também ser uma forma de habituar a criança a uma alimentação saudável.

Tacto:

Assim como o olfacto, o tacto é um dos sentidos mais antigos. O mais interessante acerca do tacto é que até os organismos unicelulares o têm. Ao contrário do que se conta, o tacto não é apenas sentido através das mãos. É igualmente possível sentir texturas e consistência a partir da boca: as sensações táteis orais.

Identificar objectos dentro de caixas fechadas é uma boa forma treinar este sentido. As crianças têm que recordar objectos em que já tocaram e ainda confiar nas suas sensações. Para estimular o tacto também é importante que as crianças mexam em várias texturas diferentes como plasticina, areia, terra, entre outros.

Desenvolver o toque é essencial para criar relações da criança com outras pessoas e animais, mas isso só funciona se a criança não for obrigada a fazê-lo.

Mãos de uma criança a tocar em várias bolas de plasticina

Visão

Cerca de 80% das informações que chegam ao cérebro são visuais. A visão é o sentido mais utilizado e mais estimulado, principalmente devido ao digital. As crianças são muitas vezes atraídas para algo por causa da cor, mas também repelidas. Normalmente o vermelho leva a que elas se aproximem e já o verde (nos legumes) faz com que se afastem. Treinar a visão em conjunto com outros sentidos faz com o cérebro seja desbloqueado; nem sempre a forma e a cor correspondem ao sabor, cheiro ou textura. Um alimento pode ter um aspecto terrível e saber muito bem, ou o inverso.

Treinar a memória visual também é importante. Faça a criança ver uma imagem, ou objectos reais, e depois peça para a descrever fazendo perguntas. Quantas nuvens existiam? De que cor era…?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *