8 doenças mais comuns nos cães e gatos

Publicado em 2017-05-08

Cães e gatos são a companhia de muitas pessoas e hoje em dia são raras as famílias sem amigos de quatro patas. Por muito que os tentem proteger, as doenças são uma realidade e podem ter as mais variadas causas. O melhor tratamento é a prevenção, pelo que o veterinário (e a vacinação) deve ser uma figura presente.

A lista de patologias é imensa, no entanto, existem umas mais comuns que outras.

cão a ser examinado no veterinário

 

1. Leishmaniose

Tudo começa com um mosquito que vive, essencialmente, em zonas mais húmidas. É através da picada desse mosquito que a tão temida leishmaniose é transmitida ao cão. A pele é a primeira a mostrar sintomas, começando pela perda de pelo, descamação e o aparecimento de úlceras. A doença vai evoluindo e o animal pode sofrer de perda de apetite, anemia, hemorragias nasais e alterações nos rins e no fígado.

Esta doença é crónica e, portanto, o melhor tratamento é a prevenção. A vacinação é importante, assim como o uso de coleiras e pipetas insecticidas. Não se aconselham os passeios em zonas próximas de lagos e charcos ao final da tarde ou de manhã, devido a ser aí que os mosquitos estão mais activos.

2. Diabetes

Tal como nos humanos, a diabetes manifesta-se quando a insulina produzida pelo organismo não é suficiente. Quando o cão tem diabetes começa a apresentar uma aparência desnutrida ao mesmo tempo que parece ter sempre fome. Esta doença pode levar o cão a ter vómitos, fraqueza, pode tornar-se obeso e formar cataratas.

A diabetes não tem cura, pelo que a administração de insulina irá fazer parte do dia-a-dia. Para além disso, é também aconselhável exercício físico e uma alimentação adequada.

3. Otite

Esta patologia não passa de uma inflamação do conduto auditivo e é até bastante fácil de identificar. O desconforto que a doença provoca é visível: o cão começa a coçar muito as orelhas e a abanar a cabeça. Com as dores, o animal pode começar a perder o apetite e a andar com a cabeça inclinada para um dos lados.

A limpeza do ouvido é essencial para prevenir as otites, assim como proteger as orelhas durante e depois do banho com a utilização de tampões e ao enxugá-las bem.

 

4. Displasia da Anca

A displasia da anca é do foro ortopédico. No fundo, é uma má formação no local onde a pata traseira encaixa na cintura pélvica. É costume aparecer nos cães mais novos, de crescimento rápido e de porte grande.

O cão pode sentir dificuldades em caminhar e começar a coxear. O tratamento nos cães mais novos pode incluir a cirurgia para evitar que a situação piore. Nos cães mais velhos, o tratamento tem como base o conforto do animal, como a administração de analgésicos, fisioterapia e a colocação de uma prótese.

Tendo em conta que a displasia é hereditária, os cães que tenham esta má formação não devem ser reproduzidos.

5. Tosse dos Canis

A tosse dos canis é uma doença que se transmite por contacto directo e dissemina-se em sítios onde estão muito animais juntos, como canis e associações. Esta doença é de foro respiratório  e provoca tosse seca e espirros. Em casos mais graves, a doença pode evoluir para uma pneumonia.

 

6. Vírus da Imunodeficiência Felina

Tal como o nome indica, este vírus baixa a imunidade dos gatos, fazendo com que seja fácil que apanhem outras doenças e infecções. Esta patologia é exclusiva dos gatos e é transmitida através do sangue – o que acontece normalmente quando existem lutas.

O vírus começa a notar-se através da falta de apetite, febre, diarreia e dificuldades respiratórias. 

O vírus da imunodeficiência não tem cura, mas o gato pode ainda viver uns anos. Para que isso aconteça tem que se proporcionar um ambiente saudável, dar suplementos vitamínicos, ter sempre a vacinação em dia e mantê-lo dentro de casa.

7. Gripe Felina

Esta gripe é comum nos gatos, mas não é por isso que não é perigosa. Caso a gripe não seja tratada pode levar à perda de visão e até mesmo à morte. Os principais sintomas são: febre, depressão, falta de apetite, corrimento nasal e nos olhos. 

Esta doença é transmitida por contacto directo.

 

8. Obesidade

Tal como nos humanos, a grande maioria dos gatos obesos têm uma vida sedentária e maus hábitos alimentares. Um em cada dez gatos são obesos, e para que isso deixe de acontecer há que não deixar a comida sempre à disposição do animal e incentivá-los a brincar.

A obesidade pode trazer complicações mais sérias como a diabetes, problemas cardíacos e pulmonares e também locomotores.

2 comentários a “8 doenças mais comuns nos cães e gatos

  1. Ana Maria de Jesus António

    Gostava de saber quais os sintomas de uma infecção urinária em gatos, se é perigoso para o animal e qual o seu tratamento. Obrigada

    Responder
    1. masterd Autor do artigo

      Olá Ana Maria,

      Os sintomas da infecção urinária nos gatos são semelhantes aos dos humanos. O gato pode ter ardor e comichão e ainda ter sangue na urina. Enquanto donos, só notamos o sangue e o facto de se inibirem de urinar devido às dores.

      Quanto ao tratamento, pode depender de caso para caso. Se desconfia que o seu gato esteja com uma infecção urinária deverá levá-lo ao veterinário para ter o tratamento adequado. Relembro que alguns medicamentos (como o paracetamol) são altamente tóxicos nos gatos, pelo que não devem ser administrados.

      Esperamos ter respondido à sua questão
      Master.D

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *