• Partilhar:
5 estratégias de comunicação que todos devem saber

Desengane-se quem pensa que comunicar é apenas falar...

Aliadas às componentes técnicas, as características comportamentais são analisadas pelos recrutadores numa entrevista de emprego. Sabia disto? A criatividade ou capacidade de adaptação são importantes competências pessoais que não deve descurar na procura de emprego e pode trabalhá-las. 

Mulher a comunicar para um grupo de pessoas

A comunicação envolve tudo aquilo que se faz, o modo como como alguém se veste no local de trabalho e gesticula e até a postura. Saber comunicar é uma virtude, é com ela que podemos alcançar muitos objectivos a nível pessoal e profissional. Existem pessoas que nascem com essa capacidade inata, mas outras precisam que treinar para chegarem a comunicadores exímios. Principalmente para este último de grupo de pessoas existem estratégias de comunicação básicas e essenciais para ajudar a desenvolver essa competência. Toda a expressão, seja ela através da comunicação verbal ou não-verbal, deve ter em conta a mensagem que se quer passar. E passar essa mensagem para que seja entendida da melhor maneira pode não ser fácil. É, essencialmente, na comunicação cara-a-cara que tudo pode acontecer. Os ouvintes são, muitas vezes, atentos e rápidos a perceber os sinais (positivos e negativos) que lhes estão a passar. 

Agressividade gera agressividade

Esta é umas das estratégias de comunicação que (quase) dispensava ser apontada. No entanto, ser agressivo não quer apenas dizer que se insulte directamente o ouvinte. Ser agressivo pode estar em não deixar que alguém discorde ou tratar o outro com um tom paternalista. Para evitar conflitos, o melhor é não agir com condescendência. Ser honesto, confiante e aberto é das melhores opções. Utilizar um suporte de comunicação físico pode ajudar a passar a mensagem certa, assim como contar uma história que envolva os intervenientes e mantenha a atenção deles.  

Empatia é melhor que simpatia

Sim, a simpatia é mesmo muito importante. Mas a empatia ajuda a criar uma relação mais próxima dos intervenientes. Mostrar que se compreende e respeita o que os outros sentem pode mesmo ser melhor que mostrar um sorriso. A cumplicidade começa por aí. Para mostrar que é empático para com outros é importante partilhar algo pessoal, sem que isso se sobreponha à outra pessoa. Também é importante que haja sinceridade nessa partilha, nota-se tudo no tom de voz, nos olhos e nos gestos.  

Tudo tem de se adequar

Homem a falar para uma plateia

 

 

Da mesma maneira que não é adequado ir para o emprego de pantufas, também não é adequado falar de forma a que a audiência perceba. O uso de calão e abreviatura pode fazer com que interlocutores mais velhos não entendam a mensagem. O mesmo se aplica a chavões num discurso para ouvintes com menos estudos. Conhecer para quem se está a passar uma mensagem é essencial para que resulte em sucesso. Esta é das estratégicas de comunicação que estão na base de tudo o resto. 

Não pressupor coisa alguma

Muitas vezes, as ideias pré-definidas podem estragar uma relação ou a mensagem que se está a passar. Não é bom falar com alguém como se a pessoa fosse pouco inteligente e é igualmente mau deixar um ouvinte cheio de dúvidas. Encontrar o equilíbrio entre os dois é essencial para se manter uma boa comunicação e relação.  

Saber ouvir e saber ver

Acha que é emocionalmente inteligente? Usar outros sentidos é crucial para que a comunicação seja bem-sucedida. Saber ouvir o interlocutor pode ter mais impacto do que se imagina. A falta de atenção e as distracções podem impedir que a mensagem seja passada. Para além disso, será difícil mostrar empatia se não se ouve a outra pessoa. Perceber os sinais que vêm da audiência é também muito importante quando alguém está a comunicar. Há que observar, interagir e ajustar o discurso para captar a atenção.   Treinar e utilizar estratégias de comunicação é essencial para que esta seja bem sucedida. Passar uma mensagem de maneira efectiva e sem mal-entendidos, pode não ser fácil, mas há sempre volta a dar. 

 

As competências técnicas são muito importantes mas as características comportamentais são muito tidas em conta pelos recrutadores. Por isso, nos cursos de comunicação e relações públicas estas e outras competências essenciais são trabalhadas para quem ambiciona trabalhar como:

  • Assistente de Marketing 
  • Relações Públicas e/ou Publicidade 
  • Assessor em qualquer área da Comunicação 
  • Assistente de comunicação e imagem em organizações públicas e privadas 
  • Assistente de assessoria de imprensa 
  • Consultou de Marketing
  • Brand manager ou Gestor de marca 
  • Gestor de produto
  • Relações públicas
  • Entre outros.

Invista em si e potencie as suas capacidades técnicas e comportamentais para que consiga ter mais hipóteses de sucesso profissional e pessoal. Procure a Master D e opte por cursos online (e-learning) ou cursos semi-presenciais (b-learning) . 

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos recentes:

Categorias:

Conteúdos em Destaque:

Siga-nos:

Sobre a Master.D