• Partilhar:
Serei emocionalmente inteligente? As 5 competências essenciais

Sabe quais são as características que uma pessoa inteligente emocionalmente apresenta?


Ser inteligente emocionalmente é um bom instrumento para nos relacionarmos melhor com os nossos colegas ou chefes e traz muitos benefícios, tais como maior cooperação e melhor ambiente no local de trabalho.  Sabe gerir as suas emoções?

Interessa-se pela área da psicologia? Gostava de ter uma profissão na qual cuidar é o principal foco? Gosta de crianças ou idosos? Prepare-se para profissões práticas relacionadas com a área dos cuidados infantis e geriátricos.

Cuidados infantis e geriátricos - Master D A inteligência emocional foi apresentada por Daniel Goleman, cientista especialista em comportamento. Caracteriza-se pela capacidade que temos de reconhecer as nossas próprias emoções, de lhes dar nome, identificar o que se está a passar em nós quando essa emoção surge. Depois, devemos identificar essa mesma emoção no outro e, a partir daí, gerir a relação da nossa emoção com a do outro e dar azo a uma reposta adequada emocionalmente.  Desta forma, evitamos o conflito e promovemos uma relação produtiva para ambas as partes. É uma forma de saber estar em sociedade, contribuir para relações saudáveis e, ao mesmo tempo, pouparmo-nos emocionalmente de desgastes desnecessários. Sabe gerir as suas emoções?  cuidados infantis e geriátricos-Master DQuando nos zangamos, devemos ter a capacidade de identificar que estamos zangados ao invés de apenas agir apenas por impulso de zanga. Devemos saber dizer : "estou zangado" , "estou desiludo" e transmitir ao outro. Por outro lado, devemos também conseguir reconhecer os sinais que nos transmitem e dar um nome a essas emoções e, a partir daí, saber fazer o controle, ou a regulação dessa emoção: tranquilizar, acalmar o corpo, conseguir ver se o outro também está mais tranquilo e posteriormente gerir a situação. Não devemos negar o que estamos a sentir. O importante é reconhecer e saber gerir de forma consciente o que se está a passar. E isto é ser inteligente emocionalmente.

As 5 competências da Inteligência Emocional



Autoconsciência


Esta competência define-se pela capacidade que temos de reconhecer em nós próprios as emoções, saber identificá-las e de que forma se manifestam. Saber dar um nome a essas emoções.

Autorregulação


Depois de identificada a emoção, devemos regulá-la. Esta capacidade permite que opte por me distrair, respirar, procurar a calma para não agir por impulso. Controlo mas sem inibir os sentimentos. Fazer com que a atitude por impulso não impere não deixando que a emoção comande o que digo e evitando assim um conflito.

Automotivação


Dirigir a nossa energia para conseguir um bom fim à situação. Celebrar as conquistas sem nos deixarmos levar pelas emoções negativas. A relação entre a inteligência emocional e e motivação é muito próxima.

Empatia


Ser empático é saber identificar o que o outro sente e agir em conformidade. Não é sinónimo de simpatia mas sim ter a capacidade de captar a sua emoção e o seu sentir. Ser sensível e dar uma resposta coerente. Se o outro está triste, devemos perceber como agir. Esta capacidade protege-nos de sermos insensíveis e conseguirmos colocar-nos no lugar do outro.

Aptidões sociais


Esta habilidade permite-nos relacionar com o outro e dar respostas efetivas do ponto de vista social. Ser capaz de liderar e resolver conflitos. Colmatar o conflito de forma construtiva e positiva e socialmente adequada para um bem-estar laboral, familiar ou na sociedade em geral. A inteligência emocional é então uma capacidade que podemos e devemos melhorar, treinar e apurar para melhoramos a nossa vida e a vida dos outros com quem nos relacionamos. Esta é uma das temáticas abordadas nas nossas formações na área dos cuidados infantis e geriátricos. Saiba quais são as opiniões dos formandos Master D que já terminaram os seus cursos e inspire-se a investir em si, reciclando os seus conhecimentos ou a especializar-se para trabalhar em profissões cada vez mais necessárias e que proporcionam oportunidades de emprego.

Conheça agora a Carla Antunes, ex-formanda do Curso de Auxiliar de Geriatria:


Artigos relacionados

Comentários

10 de Junho de 2019Luis Filipe Gomes
Excelente artigo,pessoalmente tento o colocar em prática na firma onde laboro profissionalmente e não é fácil lidar com pessoas com mentalidades diferentes.
Responder
18 de Junho de 2019masterd
Olá, Filipe!
Que bom que este artigo foi útil para si!
Efetivamente nem sempre é fácil lidar com as nossas emoções e com as dos outros com quem lidamos mas tudo se treina. E dia após dia vai começando a ver resultados desse treino. Seja persistente!
Atenciosamente,
Master D
Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos recentes:

Categorias:

Conteúdos em Destaque:

Siga-nos:

Últimas notícias

Sobre a Master.D