Testemunho Master.D – Entrevista com David Paula – Lucky Pet

Publicado em 2015-07-07

Apresentamos mais um caso de sucesso e empreendedorismo por parte de um formando da Master.D.

David Paula tirou o curso de Tosquia e Grooming na Master.D e criou o seu próprio negócio. A Lucky Pet, em Coimbra, é um espaço dedicado à prestação de serviços de banhos, tosquias e escovagem de animais de estimação.

Durante a entrevista, David fala-nos sobre a sua experiência enquanto empreendedor e sobre a formação que realizou na Master.D.


Teresa: Olá. Hoje viemos fazer uma visita ao David Paula. Concluiu a formação de Tosquias e Gromming na Master.D e a Lucky Pet é um espaço preparado para receber os nossos amigos de 4 patas. Olá David.

David Paula: Olá Teresa.

T: Bem disposto?

DP: Obrigado.

T: David, quem é o David?

DP: Eu sou uma pessoa que sempre gostou de trabalhar com animais e com o atendimento ao público e após fazer alguma pesquisa mesmo na área e, tentar ver por onde podia enveredar no meio decidi acabar por tirar o curso com vocês e para abrir o meu espaço para então seguir dentro do ramo animal.

T: O que é para si ser empreendedor? O que é que diria a alguém que quisesse abrir o seu próprio negócio, agora que abriu a Lucky Pet?

DP: Acho que acima de tudo e uma coisa que acaba ainda por faltar um pouco é os pés assentes no chão. É preciso ter bastante consciência e avançar um passo de cada vez, ir com calma, não nos podemos atirar de cabeça, quanto mais depressa subimos maior é a queda, como se costuma dizer. Portanto acho que construindo aos poucos, devagar, se calhar eu não tenho um espaço que seja o melhor espaço de Portugal, mas hei-de lá chegar. Agora temos é de, as pessoas têm que pensar que aos poucos conseguimos chegar longe.

T: Passo a passo, com a responsabilidade.

DP: Exatamente. Acima de tudo ter os pés muito assentes no chão e ir trabalhando e estando sempre a tentar arranjar alternativas para os obstáculos que nos aparecem e ir trabalhando e reconciliando várias atividades para conseguir chegar lá.

T: David, quer-nos falar um bocadinho sobre este projeto?

DP: Claro. A Lucky Pet nasceu porque tenho um grande gosto, sempre tive, de trabalhar com animais, e acabei por fazer um estudo em Coimbra o que é que havia para animais e acho que a área de banhos e tosquias ainda está em desenvolvimento em Coimbra, temos algumas lojas que já o fazem, mas ainda não vi nenhum havia espaço que fosse único e exclusivamente dedicado a essa área.

T: Sobre tosquias.

DP: Exatamente. E foi um pouco por aí que eu tentei pensar e que tentei arrancar com este projeto, ainda estou muito no início. Ainda me faltam algumas coisas, mas agora com o tempo espero chegar onde quero, o mais longe possível, sim.

T: Que tipo de serviços exatamente é que podemos encontrar aqui na Lucky Pet?

DP: Neste momento a Lucky Pet acaba por tratar um pouco da pele e pêlo dos animais. Onde fazemos-lhes as tosquias, banhos, escovagens inclusive banho terapêuticos, já tenho alguns animais a fazerem banhos terapêuticos. Maioritariamente acabam por ser cães e gatos, é o que mais se encontra aqui, no entanto, também ocasionalidade aparece um coelho de pelo comprido que também precisa de uma escovagem um pouco mais intensiva e que hoje em dia também pelo dia a dia que as pessoas têm acabam por ter menos tempo para o poder fazer, por isso cá estarei eu para o conseguir fazer.

T: Quem é o cliente mais comum que procura a Lucky Pet, tem algumas parcerias, apoio de algumas entidades?

DP: Neste momento, a nível de cliente mais habituais há um pouco de tudo. De todos os extratos sociais, de todas as classes, portanto não tenho uma área que seja mais, ou uma gama da sociedade que seja mais, um cliente mais assíduo. No entanto, tenho é a vantagem de estar neste momento ligado a algumas associações de animais cá de Coimbra e ajudar a participar nas atividades que eles organizam e inclusive eu estar a organizar algumas também e ter assim essa parceria o que acabam trazer também mais clientes principalmente mais preocupados com os animais que acabam por adotar ou por ter famílias de acolhimento que acabam por vir cá e acabam por tratar do próprio animal aqui.

T: Que meios de publicidade usa para dar a conhecer a Lucky Pet, como é que podemos fazer uma marcação para uma tosquia?

DP:Neste momento eu quando comecei, comecei muito pelo mais elementar, amigos, conhecidos, família, comecei por aí. Depois comecei também um pouco a expandir, hoje em dia temos uma grande ajuda que é o Facebook, ajuda a criar bastante e a expandir bastante e é por aí que eu também tenho feito. Sites de anúncios, classificados, tenho aproveitado também. São todos gratuitos portanto não se paga nada é uma questão de aproveitar. Pronto, e depois tive a parte mais chata que foi pés ao caminho e andar a distribuir e a publicitar por minha conta.

T: Panfletos?

DP: Panfletos, cartões, falar com lojas de animais que existem em Coimbra e que não têm este tipo de serviço.

T: E que possam indicar ao cliente onde é que podem encontrar estes serviços.

DP:Exatamente. E já tem acontecido farmácias, clínicas, esse tipo de espaços onde as pessoas vão à procura para ter algo para o animal e têm lá está, essa lacuna de não terem.

T: Não têm, mas podem recomendar.

DP: Exatamente.

T: David, disse-me que sempre esteve ligado a animais, sentiu necessidade de ter uma formação mais técnica, mais específica, para abrir a Lucky Pet para trabalhar nesta área?

DP: Sim, sem dúvida, embora eu já anteriormente eu tenha trabalhado e mesmo dentro desta área tenha acompanhado alguns dos trabalhos acho que há determinadas coisas que eu neste momento através do curso que tirei acabei por aperfeiçoar e tomar conhecimento de outras que na altura não teria, portanto eu diria que fiz questão de procurar e de me informar para poder melhorar a nível técnico.

T: Portanto, considera que para trabalhar nesta área são exigidos conhecimentos técnicos?

DP: Sim, sem dúvida, sem dúvida. Embora cada vez mais as pessoas comecem a fazer por auto recriação e vão aprendendo e vão investigando, de certeza que é muito bom termos auto recriação e investigarmos e tentarmos aperfeiçoar-nos, mas há determinadas coisas que na internet não está tão bem explícito como se calhar encontramos com tendo uma formação mais credível.

T: E a própria informação pode não ser de origem mais fidedigna.

DP: Exatamente, e mesmo em vários sites conseguimos encontrar muitas contradições, como eu já encontrei. E também um pouco através do curso que tirei a pessoa que me deu a formação da parte prática ainda hoje está muito presente, eu falo bastantes vezes com ele e até me dá bastante apoio. Uma pessoa que já está no meio à bastante tempo, portanto melhor do que ele sabe das coisas e me consegue ajudar sempre que necessito.

T: E as aulas práticas foram um pilar fundamental para aplicar a teoria?

DP: Sim, sem dúvida. Sem dúvida, mas acho que também o próprio formador que deu, que acompanhou as práticas, é uma pessoa que se mostrou bastante pronta a ajudar e informar e ainda hoje, era como eu estava a dizer, se eu tiver alguma questão, alguma dúvida, pego no telefone e ligo para ele. Seja a que horas…

T: Continua a ter esse apoio?

DP: Sim, e ele continua a estar presente, mesmo neste momento não tendo qualquer ligação com ele, a nível de trabalho ou formação, mas continuo a ter essa ligação e a falarmos e a trocarmos ideias e opiniões.

T: David, como é que conheceu a Master.D?

DP: Eu na altura comecei a pensar em poder ter um negócio próprio comecei a fazer algumas pesquisas porque acho que um negócio não deve de avançar sem fazer pesquisas, e quis tirar este curso e após fazer alguma pesquisa, alguma investigação encontrei a Master.D na internet, e comecei a fazer pesquisas, comecei-me a informar-me de opiniões de outras pessoas e pronto, acabei mesmo por optar por tirar o curso com vocês.

T: Agora que concluiu a sua formação com que ideia é que ficou do curso?

Dp: Sem dúvida que acaba por ser muito vantajoso podermos tirar o curso que conseguimos ter um pouco de flexibilidade, que conseguimos ir quando podemos. Porque ao fim ao cabo, eu consegui ter outras profissões enquanto estava a tirar o curso, consegui fazer o acompanhamento e acho que isso não influenciou o meu dia a dia, como se calhar….

T: Conseguiu conciliar a formação e o trabalho?

DP: Sim, sem dúvida, sempre consegui manter os 2 e, aliás, eu acho que uma pessoa quando quer mesmo muito uma coisa e consegue fazer um bocado de ginástica e jogo de cintura, como se costuma dizer, para o fazer. Em todo o caso eu acho que a possibilidade de conseguirmos sermos nós a organizar os horários, a organizarmos a nossa vida acaba ser um pouco mais fácil para conseguirmos completar e atingir os nossos objetivos.

T: Acha que foi uma metodologia facilitadora, nesse sentido?

DP: Acaba por ser, acaba por ser porque temos sempre também a mesma possibilidade e que algumas vezes eu recorri a isso, termos sempre alguém, do outro lado, que quando necessário podemos mandar um e-mail, podemos telefonar e acabamos sempre por obter uma resposta, se calhar não no momento certo, naquela altura, naquela hora, mas acabamos sempre por ter uma resposta.

T: Rápida?

DP: Sim, rápida, agora é claro que não pode ser sempre na hora, não é? Porque as pessoas também outras tarefas mas acabamos sempre por ter uma resposta e por ter o apoio, esclarecem-nos as dúvidas, mesmo à distância acaba por haver essa facilidade o que acaba por ser muito bom.

T: Formação à distância permite-lhe que a partir de casa ou onde estiver possa imediatamente contacta-lo e ir enviando dúvidas?

DP: Exatamente, e acabei por fazer, porque lá está, o meu horário de trabalho também não era propriamente muito compatível com qualquer tipo de curso, com o horário dos cursos normais, e então eu optava muito por estudar à noite, e à noite é muito difícil ter alguém logo…

T: Para tirar dúvidas?

DP: Para responder. Eu sabia que se metesse as dúvidas, colocasse as dúvidas hoje por e-mail, no dia a seguir, ou mais tardar ao final do dia, que era quando eu ia outra vez ao meu e-mail já lá tinha as respostas.

T: Já lá tinhas as respostas?

DP: Já, sem dúvida que isso acaba por ser muito vantajoso.

T: Recomendaria a Master.D?

DP: Sim, recomendaria, e inclusive já falei com algumas pessoas a esse respeito. Lá está, acho que foi uma grande ajuda que eu tive quando quis entrar nesta área, por toda a facilidade que já falamos anteriormente, acaba por ser uma mais valia, sem dúvida.

T: David, perspetivas de futuro, próximos passos da Lucky Pet?

DP: Neste momento a Lucky Pet começou ainda à bastante pouco tempo, vamos fazer agora 3 meses que eu tenho a porta aberta. Mas sem dúvida que eu espero poder continuar a crescer e poder alargar o meu espaço, ter maior visibilidade. Poder estar mais ligado a atividades de animais, poder crescer e conseguir, tenho alguns projetos neste momento de baixo de olho, em parcerias com outras entidades, nomeadamente a possibilidade de lançar algum tipo de artigos, uma gama nova de artigos para animais, uma linha que está em estudo e está em análise para poder começar a ser feita e acho que tudo isso vai conseguir com que a Lucky Pet consiga subir, consiga vingar no mercado que em Portugal cada vez está mais complicado uma pessoa consiga vingar. Mas acho que crendo, tendo forças para lutar e tendo as ideias no lugar se consegue.

T: Acha que a Lucky Pet tem os ingredientes necessários?

DP: Faço por isso.

T: Para o sucesso?

DP: Faço por isso.

T: David, muito obrigada pela sua disponibilidade, por nos ter mostrado as suas instalações, desejamos-lhe muitos sucessos pessoais e profissionais e pode sempre continuar a contar connosco.

DP: Muito obrigado por tudo, o que já fizeram por mim e continuam a fazer, a todas as pessoas da Master.D. Muito obrigada.

T: Obrigado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *