Envelhecimento da população – duplicou o número de octogenários

Publicado em 2017-09-06

Segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE), em 2016 haviam 630 mil pessoas com mais de 80 anos. Em 20 anos, o número de octogenários duplicou. Especialistas afirmam que o envelhecimento da população vai continuar.

Os últimos dados do INE descrevem o rápido envelhecimento da população no Ocidente. Em Portugal, “o grupo chamado de muito idosos é um dos segmentos com um crescimento mais rápido”. No ano passado o número de centenários em Portugal já ultrapassava os quatro mil.

Cuidados de domiciliários a idosos

Os cuidados domiciliários a idosos são cada vez mais importantes. Muitos dos octogenários continuam a viver na própria casa.

Quase um terço destes idosos ainda vivem sozinhos, confirmou o INE, e acreditam que as “capacidades cognitivas e de comunicação” se mantêm ao longo dos anos. Contudo, os dados lançados mostram a outra face da moeda. Este grupo apresenta dificuldades nas tarefas diárias e “nas funções sensoriais”, principalmente na audição e visão.

O INE prevê que o envelhecimento da população continue a ser uma realidade. Até 2080 poderão ser cerca de 22 mil as pessoas com 100 anos.

 

Gráfico de envelhecimento da população nos últimos 20 anos.

Fonte: jornal Público

 

O papel dos profissionais de Geriatria

O envelhecimento da população e a longevidade representam vários desafios “para os serviços de saúde e sociais”, mas também para o agregado familiar do idoso. Isto porque se torna necessário um maior acompanhamento deste grupo. O rastreio de doenças a nível sensorial, por exemplo, é crucial para que se previnam doenças em vez de se limitar a curá-las, afirmou Manuel Villaverde Cabral.

Maria Filomena Mendes, presidente da Associação Portuguesa de Demografia, sublinha o valor dos cuidados de saúde primários. A presidente afirmou que “Nestas idades, basta uma queda e uma fractura para que se perca a autonomia e a situação se torne dramática”.

curso de geriatria

É, por esta razão, essencial que se motive os idosos a manterem-se o mais independentes possível. E não só: o acompanhamento do grupo dos octogenários a nível domiciliário é cada vez mais necessário, uma vez que, muitos deles, continuam a viver na própria casa.

Fonte: Público

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *