• Partilhar:
Cuidador Informal: O que é, o que faz e qual a legislação
Saiba mais sobre cursos na área da saúde e seja um cuidador.


VIDEO: Veja a sessão de Suporte Básico de Vida – SBV no Centro Formativo do Porto.


O que é ser cuidador?


O Cuidador é a pessoa que se compromete a assistir uma outra que, por variadas razões, vivencia um momento de incapacidade. Essa incapacidade pode ser temporária ou permanente, que lhe impossibilita de cumprir, total ou parcialmente, as tarefas associadas à sua existência. Em 2019, foi aprovado o Estatuto do Cuidador Informal , pela Lei N.º 100/2019, regulando direitos e deveres não apenas do Cuidador, mas também da pessoa que necessita de cuidado, bem como as medidas de apoio a ambos. Este Estatuto do Cuidador Informal veio distinguir facetas mais realistas do cuidado informal, estabelecendo o Cuidador Informal principal e Cuidador Informal não principal: O Cuidador Informal principal é um cuidador mais próximo ainda porque habita com a pessoa que necessita de cuidado, e é cônjuge/unido de facto ou parente até o 4.º grau daquele que necessita de cuidado. Cuida, portanto, de forma permanente e não recebe nenhum tipo de remuneração pelo cuidado que presta, nem de qualquer outra atividade profissional. O Cuidador Informal não principal é aquele que, com as características descritas anteriormente, cuida de forma regular, mas não permanente, podendo auferir, ou não, remuneração pelos cuidados que presta ou de qualquer outra atividade profissional. Este estatuto contempla, assim, alguns direitos e deveres.

 



Direitos do Cuidador Informal




  • Ser reconhecido como elemento fundamental para o bem-estar da pessoa cuidada;

  • Receber formação para desenvolvimento das suas competências no que concerne à prestação adequada de cuidados de saúde à pessoa cuidada;

  • Aceder a informação esclarecedora sobre a evolução da doença e todos os apoios a que tem direito;

  • Aceder a informação relativa a boas práticas, capacitação e aconselhamento a cuidadores informais;

  • Usufruir de acompanhamento psicológico, mesmo após o falecimento da pessoa cuidada;

  • Usufruir de períodos de descanso que permitam o seu bem-estar e equilíbrio psicológico;

  • Beneficiar do subsídio de apoio ao cuidador informal;

  • Em caso de cuidador informal não principal, conciliar a prestação de cuidados com outra atividade profissional.



 Deveres do Cuidador Informal




  • Respeitar os interesses e direitos da pessoa cuidada, garantindo o seu bem-estar global, e potenciando a capacidade funcional, autonomia, independência e socialização da mesma;

  • Fomentar a satisfação das necessidades básicas e instrumentais da vida diária da pessoa cuidada, seguindo terapêuticas prescritas pela equipa de saúde;

  • Promover, à pessoa cuidada, um ambiente seguro e confortável, estabelecendo períodos de repouso e de lazer;

  • Prestar cuidados de modo articulado com os profissionais de saúde e apoio social;

  • Promover a manutenção e fortalecimento de relações familiares;

  • Fazer a manutenção da higiene, quer da pessoa cuidada quer da habitação;

  • Assegurar a adequada nutrição e hidratação da pessoa cuidada;

  • Comunicar à equipa de saúde alterações no estado de saúde da pessoa cuidada;

  • Participar nas ações de capacitação e formação que lhe são destinadas;

  • Reportar, à Segurança Social, qualquer alteração de situação que veio a determinar a caracterização de cuidador informal.


cuidador-o que-faz Com direitos e deveres explícitos, o Estatuto de Cuidador Informal refere-se às medidas de apoio que este pilar essencial acede:


  • Contacto com profissional de saúde enquanto referência na prestação de cuidados à pessoa cuidada, ou mesmo para apoio psicossocial do cuidador informal;

  • Acompanhamento, capacitação e formação por profissionais de saúde;

  • Participação em grupos de autoajuda para partilha de experiências e criação de soluções, bem como para minimização do isolamento do cuidador informal;

  • Informação acerca de redes de suporte social para fomento do cuidado no domicilio, nomeadamente através de apoio domiciliário;

  • Períodos de descanso e, para tal: pode referenciar a pessoa cuidada na Rede Nacional de Cuidados Continuados, e/ou encaminhar a pessoa cuidada para estruturas residenciais de modo periódico e temporário.


O Cuidador Informal principal beneficia ainda:


  • De subsídio, e majoração do mesmo, a atribuir pelo subsistema de solidariedade social, de acordo com os recursos do agregado familiar do cuidador informal e com o indexante dos apoios sociais (IAS);

  • De apoio na integração no mercado de trabalho, quando findos os cuidados prestados;

  • Do regime de seguro social voluntário, através do qual garante o recebimento de prestações sociais em situações de reforma, invalidez ou morte.


funcoes-cuidador-informal

 



Benefícios, direitos e deveres. Quais as funções do Cuidador Informal?


É a pessoa que garante o equilíbrio e o cuidado nas vertentes física, mental, social e espiritual da pessoa de quem cuida, zelando pelo seu bem-estar e animação/ocupação. Precisa, por isso, de ter acesso a um variado conjunto de interrelacionados Saberes que permitem a sua atuação adequada e pertinente, e que são abordados na formação de Auxiliar de Geriatria.

O que deve ter em conta um cuidador


Estes são alguns dos Saberes fundamentais de quem cuida e que podem ser aprendidos: Saber-Saber


  • Reconhecer as características do processo de envelhecimento e da vivencia da velhice;

  • Entender a importância da nutrição, hidratação, higiene e conforto;

  • Conhecer a importância dos posicionamentos e da mobilidade;

  • Conhecer as instituições e serviços de apoio.


Saber-Fazer


  • Aplicar procedimentos relativos à alimentação, higiene e conforto adequados;

  • Aplicar técnicas adequadas à manutenção da mobilidade;

  • Utilizar as técnicas de posicionamento adequadas;

  • Desenvolver técnicas de animação adequadas às necessidades e interesses demonstrados.


Saber-Ser


  • Prezar e atuar consoante os princípios éticos e deontológicos do cuidado à pessoa que necessita;

  • Respeitar e dignificar a pessoa cuidada;

  • Possuir capacidades emocionais e psicológicas adequadas ao relacionamento com a pessoa que necessita de cuidado;

  • Proteger e promover a privacidade e intimidade da pessoa cuidada.


Ser Cuidador é cuidar, mas cuidar não é só estar. É estar presente, querendo estar, e atuar para que a pessoa que necessita de apoio, diário e permanente, o receba e o entenda como tal. Neste sentido, é essencial o cuidador conhecer e compreender quem precisa de si, nas suas particularidades e na sua globalidade, enquanto pessoa vulnerável, mas sobretudo enquanto pessoa, com uma história, com gostos e interesses distintos e muito próprios. E para esse conhecimento se construa é crucial formação e tolerância e ambos podem e são aprendidos! Cuidar do outro e a saúde são áreas que gosta e que o apaixonam, invista em formação e seja um cuidador para ajudar quem mais precisa.

Artigo escrito em parceria com Daniela Fonte, e-Tutora das formações na área dos cuidados infantis e geriátricos da Master D


Auxiliar Geriatria - Banner

Artigos relacionados

Comentários

05 de Novembro de 2020Ofélia Lopes
Estou cuidando de meu marido, 91 anos, com patologias diversas, teve síncope ficando um pouco perdido no tempo e espaço, vários internamentos em Hospital. Tenho ajuda de um centro social para a higiene, 1X/ dia, de 2a a 6a feira (ele tem incontinência urinária) o que obriga a mudas 3/4Xs/dia e tb.à noite (no mínimo 1X). Tenciono pedir pelo menos + 1X (à tarde), já que a tarefa é pesada, tendo de olhar pela casa, fazer compras, dar medicação, etc. Minha idade já vai alta tb. Sendo assim, será que posso requerer ajuda como cuidador informal?
Grata pela resposta.

Responder
17 de Novembro de 2020Master D — PT

Estimada Ofélia,



Este artigo é meramente informativo e não substitui a consulta de um especialista nesta matéria. Para que possa ser encaminhada da melhor forma e para que a possam ajudar, sugerimos que entre em contacto com a Segurança Social. O contacto pode ser feito por telefone ou pelo portal da Segurança Social Direta e fazer um requerimento deste estatuto. 



Esperamos que tudo corra pelo melhor. Gratos pelo seu comentário.



Atenciosamente,



Master D


Responder
05 de Agosto de 2020Filomena
Saber como funciona cuidadora informal
Responder
05 de Agosto de 2020Master D - PT

Cara Filomena,



Agradecemos o seu comentário. Este artigo é meramente informativo e não substitui a consulta de um especialista nesta matéria. Sugerimos que consulte a Segurança Social para que o possam ajudar e encaminhar de forma mais precisa


 

Atenciosamente,



Master D 


Responder
04 de Agosto de 2020Helena Paula Pereira de Barros Monteiro Camilo
Desejo solicitar o Estatuto de Cuidadora pois estou 24 horas por dia a cuidar da minha avó que tem 93 anos... Hoje percebi pelas notícias que era vantajoso solicitar este "estatuto". Agradeço muito que me ajudem... Que devo fazer?

Obrigada,

Helena Paula Camilo
Responder
05 de Agosto de 2020Master D - PT

Cara Helena,



Agradecemos o seu comentário. Este artigo é meramente informativo e não substitui a consulta de um especialista nesta matéria. Sugerimos que consulte a Segurança Social para que a possam ajudar e encaminhar de forma mais precisa.



Atenciosamente,



Master D 


Responder
01 de Agosto de 2020Paulo Fernandes
Não é uma opinião, mas sim um pedido de esclarecimento. Cuido da minha mãe que tem 84 anos. Não tenho qualquer formação na área. Estarei apto para a candidatura a Cuidador Informal? Se tal for o caso, que impresso da Segurança Social devo preencher? Que outros passos terei eu que dar? Obrigado.
Responder
05 de Agosto de 2020Master D - PT

Caro Paulo,



Agradecemos o seu comentário. Este artigo é meramente informativo e não substitui a consulta de um especialista nesta matéria. Sugerimos que consulte a Segurança Social para que o possam ajudar e encaminhar de forma mais precisa.



Atenciosamente,



Master D 


Responder
27 de Julho de 2020Susana Martins
E para quem já recebe o subsídio assistência á terceira pessoa, também tem que fazer o requerimento?
Responder
05 de Agosto de 2020Master D - PT

Estimada Susana,



Agradecemos o seu comentário. Este artigo é meramente informativo e não substitui a consulta de um especialista nesta matéria. Sugerimos que consulte a Segurança Social para que a possam ajudar e encaminhar de forma mais precisa.



Atenciosamente,



Master D 


Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos recentes:

Categorias:

Conteúdos em Destaque:

Siga-nos:

Sobre a Master.D